A Erupção Submarina da Serreta (1998-2001) - Vulcanismo Serretiano

Quer Comentar?

25 e 30 de Novembro de 1998 - regista-se  um conjunto de fenómenos sísmicos com uma frequência acima do normal, embora imperceptíveis para a população. De acordo com os sismógrafos da região, foram registados mais de 150 microssismos.

18 de Dezembro de 1998fazem-se ouvir os primeiros relatos dos pescadores, segundo os quais emanações de gases vulcânicos estariam a subir do fundo oceânico.

22 de Dezembro de 1998 - confirma-se a erupção.

Foto 1
 Balões de lava flutuando à superfície
Foto 2
Bloco de lava que sobe para a superfície por ser oco

Foto 3
Balão de lava
Liberta uma fumarola branca,
 provocada pelo choque de temperaturas


Foto 4
Bloco de Lava
Radiotelevisão Portuguesa (Abril 1999)
URL: <http://www.rtp.pt>
Foto 5
Bloco de Lava com 80 cm diâmetro máximo
 recolhido a 10 Fevereiro de 1999
 (CVAR Universidade dos Açores)

Foto 6
Balão de Lava a flutuar libertando gás.
Cortesia do CVAR - Univ.Açores
Foto 7
Vista aérea do local da Erupção
Foto de Helicóptero de João Gaspar
CVAR - Univ. Açores



VULCANISMO SERRETIANO

O Vulcão Submarino da Serreta foi uma importante erupção vulcânica situada no mar a noroeste da ponta da Serreta, ilha Terceira. A erupção submarina iniciou-se nos finais de 1998, a cerca de 300 a 600 metros de profundidade, e  prolongou-se até meados de Março de 2000. A profundidade a que estava o topo da chaminé do vulcão, e devido á pressão da água, impedia que se verificassem os habituais fenómenos eruptivos tipicos dos vulcões submarinos pouco profundos, como os jactos de piroclastos e lava, colunas de vapor e algumas explosões. No entanto, subiam para a superfície blocos de lava ocos.Alguns desses blocos bastante escuros, eram enormes,  e apareciam quando menos se esperava, silenciosamente. Tais blocos estão a ser designados por balões de lava. Os balões ascendiam à superfície e flutuavam durante alguns minutos libertando o gás que estava no seu interior. O arrefecimento dos balões, no seu contacto com a água do mar, levava à formação de uma coluna de fumo branco. A ocorrência de um fenómeno com estas características nunca fora anteriormente descrito pelos cientistas, pelo que vários geólogos portugueses propuseram que se passe a chamar às erupções submarinas, basálticas, relativamente profundas e onde se formem balões de lava como tendo Actividade Eruptiva do Tipo Serretiano (Serretyan activity).


Foto 8 - Esquema de formação dos Balões de Lava, desenho de (Forjaz, et al., 2000)


Origem das Fotos:
Foto 1,2 e 3 - http://serreta-creminer.fc.ul.pt/index3ced.html?sectionid=3&menuid=3
Fotos 4,5,6 e 7 - http://www.volcano.si.edu/world/volcano.cfm?vnum=1802-05=&volpage=var#bgvn_2401
Foto 8 - http://geocrusoe.blogspot.com/2009/02/tipos-de-actividade-vulcanica-submarina.html

0 comentários: